Projectos de I&D&I impulsionam a biofábrica da Ourense como uma referência europeia na economia circular

Os resultados obtidos na Unidade Conjunta da Biofábrica CIGAT impulsionaram o desenvolvimento de novas soluções de I&D&I na biofábrica Ourense, através dos novos projectos ECOVAL e WalNUT.

A Estação de Tratamento de Águas Residuais Ourense (ETAR) é actualmente uma referência em economia circular graças à transformação que sofreu nos últimos anos ao tornar-se uma biofábrica, ou seja, um novo modelo de instalação baseado nos princípios da economia circular, onde a água é regenerada para posterior reutilização, a energia renovável é produzida e os resíduos são transformados em recursos. Desta forma, o valor dos recursos é maximizado através da promoção de um modelo neutro em termos energéticos que contribui para um desperdício zero.

O sucesso dos resultados obtidos na Unidade Comum Biofábrica CIGAT, resultado da colaboração público-privada entre Viaqua, Cetaqua e a Agência Galega de Inovação (GAIN), serviu de base para o desenvolvimento e implementação de novos projectos de I&D&I, desta vez com enfoque na Europa, como o H2020 Walnut e Interreg Sudoe ECOVAL.

Ambos os projectos, alinhados com a Agenda 2030, posicionam a Galiza como uma referência europeia em termos da implementação de tecnologias inovadoras desenvolvidas para a gestão eficiente dos fluxos urbanos e a consequente utilização de resíduos para um menor impacto ambiental.

ECOVAL (Estratégias de coordenação para a gestão e recuperação de lamas e resíduos orgânicos na região SUDOE), liderada por Cetaqua Galicia, baseia-se na valorização de resíduos orgânicos urbanos e lamas de depuração para a obtenção de bio-produtos tais como ácidos gordos voláteis (VFA), úteis para as indústrias de plásticos, lubrificantes e tintas, entre outras. A noz, liderada pela CARTIF, procura a recuperação de nutrientes e a subsequente produção de biofertilizantes, prevenindo assim a poluição das massas de água e promovendo a circularidade na indústria dos fertilizantes no quadro da União Europeia.

 

Mais de 100 pessoas participaram no evento “De estações de tratamento de águas residuais a biofábricas: o potencial da água na economia circular”, para conhecer os avanços técnicos e os resultados dos dois projectos europeus que estão a ser desenvolvidos em Ourense.

Durante o evento “Das estações de tratamento de águas residuais às biofábricas: o potencial da água na economia circular”, realizado esta manhã no auditório de Ourense, importantes representantes da administração pública, universidades e empresas vieram discutir sobre as barreiras sociais, legais e de mercado existentes para a valorização de produtos de alto valor acrescentado presentes nas águas residuais, úteis para a indústria e agricultura.

O vice-prefeito de Ourense, Armando Ojea, abriu o evento destacando “o desenvolvimento de projectos de investigação em Ourense, que permitem dar uma segunda oportunidade aos resíduos das ETAR, tornando a cidade mais sustentável”.

Actores das entidades envolvidas, tais como Agbar, A Cetaqua e o Centro Tecnológico CARTIF, intervieram para falar sobre os modelos de economia circular implementados, a valorização da matéria em ácidos gordos e nutrientes aplicados na indústria de fertilizantes realizada. Por outro lado, a Universidade de Vigo e a FEUGA, participaram concentrando-se nas barreiras legislativas e de transferência para a transformação de estações de tratamento de águas residuais em biofábricas.

Os utilizadores finais dos recursos extraídos, representados pela Repsol, Fertiberia e o Grupo Valora destacaram durante as suas intervenções a viabilidade da aplicação destes compostos nas indústrias química, petroquímica e de fertilizantes como um passo fundamental para promover modelos circulares e sustentáveis.

Durante a mesa redonda moderada pelo Professor de Engenharia Química da Universidade de Santiago de Compostela (USC), Juan Manuel Lema, representantes da Diputación de Ourense, Cetaqua, Viaqua, Repsol, Fundación Patrimonio Natural de Castilla y León (FPNCyL) e Fertiberia reuniram-se para discutir o potencial da água no âmbito da economia circular.

Juan José Vázquez, chefe de Água da Xunta de Galicia em Ourense, foi o responsável pelo encerramento do evento salientando a importância de projectos como estes para construir um futuro sustentável e lidar com o problema da falta de recursos e o aumento de resíduos.

O dia terminou com uma visita guiada à biofábrica Ourense, onde os participantes tiveram a oportunidade de ver, em primeira mão, as instalações e tecnologias aplicadas a ambos os projectos.

ECOVAL adere à plataforma do Green Project Expo

Ecoval Sudoe faz agora parte da Green Project Expo (GPE), uma plataforma internacional criada para ligar e comunicar projectos inovadores de diferentes sectores económicos que procuram construir um mundo mais sustentável. Serve como uma exposição digital em grande escala para atingir uma vasta audiência, criar e divulgar eventos ou fazer contactos.

 

A Green Project Expo reúne vários projectos de todos os tipos de indústrias, desde tratamento de água a transportes ou saúde, eficiência energética, tecnologia, gestão florestal, agricultura, petróleo e gás ou cidades inteligentes. ECOVAL está incluído na categoria “Bio-resíduos e CO2”, onde partilha espaço com a Biomotive, FRONTSH1P ou Grøn Sky, favorecendo a criação de redes entre projectos com interesses comuns.

 

A presença de ECOVAL neste novo espaço digital que funciona como altifalante aproxima-o da realização dos seus objectivos de comunicação e difusão. Pertencer a esta plataforma oferece uma grande oportunidade para o projecto em termos de visibilidade, impacto, desenvolvimento de sinergias e trabalho em rede. Consulte aqui a página da ECOVAL no GPE ou veja o seu Twitter e Linkedin!